sábado, 7 de novembro de 2015

Xian


 

Xian



Muita gente pensa que Xian é somente o Exército Terracota, e pode até chegar a desconsiderar essa destinação quando planejando a sua viagem à China. Eu sei bem, porque aconteceu isso com a gente durante a nossa primeira visita. A cidade fica na contra mão de destinos mais tradicionais como Beijing, Shanghai, Guilin e Hong Kong que estão na costa leste do país, o que dificulta um pouco a mobilidade, especialmente se estiver com o orçamento apertado, como nós. Ainda bem que tínhamos visto para duas entradas, e dessa vez fizemos questão de começar por aí.



Muito boa decisão, a propósito. Nós que pensávamos que Xian seria um desertão, já que está localizada bem no meio do país (tipo Brasília), ficamos surpresos com o tamanho e a importância histórica que a cidade desfrutou em sua época e ainda mantém até hoje, principalmente por ser o ponto de início da rota da seda, conectando o Oriente à Europa.

Sendo a primeira capital da China, e mantendo essa posição durante várias das mais importantes dinastias na história do país, a cidade está repleta de templos, pagodas, torres antigas e a muralha que servia para a sua proteção naquela época. Claro que o Exército Terracota é o ápice de qualquer visita a Xian, e uma de nossas atrações favoritas na China (veja mais sobre a nossa visita ao Exército Terracota aqui), mas a cidade tem muito mais a oferecer e, tranquilamente, dá para prolongar a sua estada por quatro ou cinco dias sem ficar entendiado.

O Bairro Muúlmano


Difícil de imaginar, mas existem mulçumanos na China, e não são poucos. Em Xian especialmente, aonde existe todo um bairro que leva o nome de ‘Muslim Quarter’ ao redor da Grande Mesquita. Não podíamos deixar de conhecer uma mesquita na China, e honestamente não encontramos nenhuma similaridade com as do Oriente Médio. Para nós a arquitetura é exatamente igual aos templos Taoístas e Budistas da China, exceto por algumas inscrições em árabe, o salão de orações e o lavatório. A edificação é bem antiga (século 17), coisa rara de se ver, já que os Chineses adoram substituir monumentos históricos por cópias modernas. A entrada custa 25 yuan, só que se você tiver cara de árabe, não paga.


O bairro mesmo é uma bagunça, com gente gritando e vendendo todo tipo de comida frita, espetinhos, doces e frutas secas. As ruas estão lotadas de turistas a qualquer hora do dia. De noite consegue ser ainda mais caótico, já que se adiciona à equação luzes neons e música eletrônica barata. É legal pra conhecer, mas saia rápido antes que te dê um ataque epiléptico.

Batend perna em Xian



Nada mais legal do que sair para caminhar pela cidade observando as pessoas no seu dia a dia, as feirinhas na rua, os templos que estão fora da rota turistica, idosos dançando e as crianças correndo pelos parques. E foi exatamente isso que fizemos, ao invés de gastar um dinheirão pagando ingressos caros para os pontos turísticos mais tradicionais como a muralha da cidade (54 CNY), Drum Tower (35 CNY), Bell Tower (30 CNY), Wild Goose Pagoda (30 CNY), e afins. Afinal, uma vez que você recorreu uma muralha – e agente já conheceu duas, sem contar com a Grande Muralha da China – você viu todas. E o bonito mesmo é o exterior das edificações, que você pode ver de graça.


Falando nisso, para a nossa surpresa, os museus aqui na China são grátis, e tanto o Museu de Xian, como o Museu de História de Shaanxi têm excelentes exposições de artefatos com mais de 3.000 anos, incluindo objetos de bronze, cerâmica, esculturas, porcelana, jade, caligrafia, enfim, uma explosão de cultura Chinesa da região. E de sobra está situado no mesmo parque que o Small Wild Goose Pagoda, e se você não quiser subir na torre, pode entrar por trás e visitar sem ter que pagar a entrada para a pagoda.

Tumba do Emperador Jing Di


Esse é um passeio que quase ninguém dá muita bola. Por isso mesmo não saberia dizer se gostamos mais da exposição, ou do fato que tínhamos o complexo quase todo para a gente (um milagre na China). A tumba do imperador Jingdi está localizada há 20 km do centro da cidade, mas chegar de transporte público é bem complicado, podendo demorar até 3 horas. Para os que viajam de avião, está há apenas 20 minutos aeroporto, sendo uma fácil parada em taxi.

Nós fomos em um tour guiado que custou 160 CNY (26 USD) por pessoa, incluindo transporte e entradas. A primeira parte do passeio são os poços, e diferente do Exército Terracota, que você vê tudo de longe, aqui se pode caminhar sobre a escavação, já que as plataformas são feitas de vidro.


Outra particularidade é que ao contrário de Qin Shi Huang (pai dos Guerreiros Terracota), esse imperador tinha um conceito mais ‘paz e amor’ e ‘não interferência’ de administrar o seu império. Ao invés de um batalhão de soldados, ele enterrou em seu túmulo mais de 50.000 estatuetas de todos os tipos de animais domésticos, cortesãos, artistas, músicos, malabaristas e até um pelotão de cavalaria feminina para acompanhar-lo na próxima vida. As esculturas, também feitas de terracota, são menores em tamanho e estavam vestidas em traje de seda, com braços de madeira que se moviam.


Se você curte história e arqueologia não deixe de conhecer a tumba do emperador Jindgi. O custo benefício é excelente, visto que o passeio inclui visita à dois museus, o sítio arqueológico, vários artefatos e até um cinema holográfico que conta um pouco da vida do Imperador e da Imperatriz. Tudo com legenda e explicações em inglês.

Confira a nossa visita a Xian abaixo:



Galeria de Fotos


Xi'an


Nenhum comentário:

Postar um comentário